7 ideias para enriquecer seus programas de Onboarding

7 ideias para enriquecer seus programas de Onboarding

Ana Carolina Battisti | Gerente de Soluções Educacionais da Ciatech

O cenário atual das empresas exige que os novos colaboradores estejam preparados para atuar com autonomia e adicionar valor ao negócio rapidamente, o que traz grandes desafios para a Educação Corporativa e seus programas de Onboarding, dentre eles:

  • Reduzir a curva de aprendizagem;
  • Promover a ágil aplicação das habilidades necessárias para o negócio;
  • Estimular a resolução de problemas e o pensamento crítico.

 

Para alcançar esses objetivos as organizações devem desenvolver soluções de Onboarding alinhadas aos objetivos de negócio e com a utilização dos melhores formatos e abordagens para um público cada vez mais digital, que tem como características:

  • Conexão;
  • Apreciação de conteúdos multimídia;
  • Fácil acesso à informação, o que exige que o foco da solução educacional seja no significado e não apenas na informação;
  • Apreciação por conteúdos curtos, objetivos e com aplicação imediata.

A seguir, algumas ideias para a utilização do Microlearning, importante tendência da educação digital, em seus programas de Onboarding:

1 – Peças rápidas com orientações para os primeiros dias

Os primeiros dias em um trabalho novo podem ser angustiantes, afinal trata-se de um ambiente desconhecido e há uma curva de aprendizagem considerável pela frente.

Mas é possível oferecer ao público uma experiência valiosa para essa etapa inicial, com simulações que reproduzam vários aspectos da empresa.

Exemplos:

  • Um tour virtual de cinco minutos por unidades ou setores da organização.
  • Simulação online de softwares ou equipamentos que o colaborador utilizará.

Recomendações:

  • Utilize imagens, sons e detalhes para deixar a experiência o mais realista possível.
  • Inclua informações fidedignas à rotina e ao ambiente da empresa.

 

2 – Cenários simulados para trabalhar habilidades essenciais

Certas habilidades são difíceis de dominar no trabalho. Experimentar com antecedência uma situação real pode ser o aprendizado mais efetivo, mas um erro pode custar um cliente ou até comprometer a receita da empresa.

Com um cenário de simulação, personagens realistas e situações do cotidiano é possível ajudar o profissional recém-contratado a desenvolver a habilidade em questão.

Exemplo:

  • Um vídeo interativo para o novo colaborador treinar habilidades de comunicação assertiva em situações diversas com clientes, com cases baseados em situações comuns.

Recomendações:

  • Procure pensar em situações reais do dia a dia da função, que permitam ao colaborador se deparar com as consequências de suas ações e comportamentos.

 

3 – Assessments

Assessments são ideais para programas de Onboarding, pois permitem aos colaboradores acompanhar seu progresso e identificar pontos de melhoria. Assim, eles podem buscar recursos adicionais para desenvolver determinado conhecimento ou habilidade.

Exemplo:

  • Enquanto, tradicionalmente, um curso online pode incluir um exame para verificar a aprendizagem de cada tarefa, habilidade e política da empresa, uma avaliação em formato microlearning se concentra em um único conjunto de habilidades ou processo de trabalho por vez.

Recomendações:

  • Para criar uma avaliação curta e eficaz, selecione pequenos objetivos ou temas por treinamento.
  • Ofereça a possibilidade de acessar materiais complementares para os pontos de melhoria indicados ao colaborador.

 

4 – Jogos Educacionais sobre Compliance

Para muitas empresas, treinamentos de Compliance são chatos e longos. Mas é possível transformar esses conteúdos em experiências mais engajadoras que mostrem de forma leve o impacto de determinados comportamentos para a empresa, o negócio e o próprio colaborador.

Ao utilizar estratégias de jogos para tratar de temas densos, os novos colaboradores aprendem sobre procedimentos de segurança ou políticas da empresa de forma mais fluida.

Exemplo:

  • Gamifique não somente o conteúdo, mas toda a experiência do participante com o tema. Crie símbolos de reconhecimento e êxito na participação no jogo. Lembre-se: serious games trazem personagens, histórias e desafios envolventes!

Recomendações:

  • Os funcionários devem superar cada obstáculo/desafio para então avançar para o próximo nível do jogo.

 

5 – Flexibilidade e Mobilidade com Podcasts

Políticas da empresa também podem ser um tema árido. Mas com a utilização de podcasts, é possível deixar essas informações disponíveis de forma ágil e facilmente atualizável.

Os colaboradores têm a flexibilidade de ouvir os podcasts no momento mais conveniente e, assim, absorverão os conteúdos com mais facilidade.

Exemplo:

  • Cada podcast pode abordar um tópico diferente, desde o histórico da organização até regulamentos sobre saúde e segurança.

Recomendações:

  • Para facilitar a busca, crie um guia de organização dos podcasts com categorias – por exemplo, uma seção para os procedimentos de cada área, outra para código de conduta, etc.

 

6 – Tutoriais on-the-job

Certas situações pedem treinamentos bastante pontuais. Novos funcionários não têm tempo para acessar o LMS e fazer um curso online de 20 minutos – eles precisam de informações em tempo real para garantir um atendimento ao cliente eficaz, por exemplo. Os tutoriais em formato de microlearning atendem essa demanda.

Exemplo:

  • Um novo colaborador está pronto para efetuar sua primeira venda, mas não se lembra de como usar o sistema.
  • Um funcionário de TI precisa solucionar um problema de cliente e não é capaz de usar a ferramenta de diagnóstico.

Recomendações:

  • Eles podem ser na forma de vídeo, apresentações virtuais, ou mesmo listas com tópicos. Seja qual for o caso, eles provêm informações que os colaboradores precisam acessar rapidamente.

 

7 – Vídeos demonstrativos de produtos e serviços

Seus colaboradores atuais absorvem informações sobre novos produtos com maior facilidade do que um recém-contratado. Isso porque o novo colaborador tem um leque de informações muito mais amplo para ser incorporado a seu repertório, com dados sobre demonstração dos produtos, recursos, especificações, benefícios, etc.

Com o microlearning é possível que seu time absorva a informação sobre cada produto em um formato facilmente digerível.

Exemplo:

  • Vídeos curtos apresentando os itens do catálogo de produtos ou serviços da empresa, incluindo lançamentos pontuais ou de renovação do portfólio.

Recomendações:

  • Faça um vídeo para cada produto, para facilitar a busca pelo colaborador.
  • Inclua orientações completas para produtos mais relevantes. Além disso, incorpore gráficos, diagramas e imagens para mostrar detalhes que fazem diferença na hora da venda.
  • Apresente os produtos de forma bem contextualizada à necessidade do cliente e à sua proposta de valor.
  • Os novos colaboradores podem explorar um produto antes de passar para o próximo, e até mesmo rever o treinamento para atualizar sua memória.

 

O microlearning é uma metodologia essencial a ser incorporada ao seu Programa de Onboarding, na medida em que apoia a construção do repertório e o desenvolvimento de habilidades de forma objetiva, contextualizada às necessidades do novo colaborador e rapidamente aplicável.

Use essas sete ideias para propiciar ao novo colaborador um início de sucesso.

 

Faça o download deste artigo em formato PDF:

 

Fonte/Referência: Top Seven Microlearning Activities for Onboarding Online Training – Learning Solutions Magazine – Feb, 2017.

Artigos Relacionados

CONARH 2017 e O Poder da Influência

5 Drivers que já estão mudando o mercado como você o conhece

SXSWedu 2017: Hacks de aprendizagem, uma educação superior digital e boas práticas na produção de vídeos educacionais

Tendências Digitais para considerar em seus projetos de Educação Corporativa Digital para 2017

Realidade Virtual: a experiência imersiva a partir do vídeo 360°

Como empresas aproveitam a tecnologia para redefinir a relação das pessoas com seu desenvolvimento.

A pergunta deixou de ser “preciso ter um projeto de e-learning” para “como fazer um projeto de e-learning”.

A interpretação correta de dados e informações é fundamental ao planejar o futuro e elaborar hipóteses de cenários.

Todos são líderes dentro de sua realidade. A liderança é uma condição que está em cada um de nós.

O que falta para aquelas pessoas esforçadas que colecionam trapalhadas e negociações frustradas?

Qual a diferença que você tem que os outros não tem? Quais adjetivos estão espalhando por aí sobre você?

Transformar ideias embrionárias em “grandes ideias” e fazê-las ser adotadas.

Prêmios colocam UniBB na vanguarda da Educação Corporativa

Metas em qualquer organização são um horizonte que funciona para sinalizar quais são as possibilidades de progressão.

A gestão da carreira é uma decisão individual, e de fato, depende da nossa ação o rumo que daremos na vida profissional.

Por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Ver mais