A inspiração brota do talento, inato em todos nós, mas ainda sem ser mapeado e conhecido.

A atividade de consultor é pródiga em frases de estímulo. Uma das mais frequentes é: “Tenhamos 5% de inspiração e 95% de transpiração”. O recado é simples, mas o seu impacto sempre foi, e continua sendo, positivo. Ao querer fazer mais do que já fazemos, revigoramos a confiança em nós mesmos e recarregamos nossas baterias profissionais. Tomamos consciência de que aqueles 5% de inspiração logo irão aflorar em toda a sua plenitude, se nos esforçarmos mais.

No entanto, para dar uma boa “liga”, a soma dos fatores inspiração e transpiração precisa de dois aditivos. O primeiro é a reflexão. O segundo, o bom senso.

A inspiração brota do talento, inato em todos nós, mas ainda sem ser mapeado e conhecido. Às vezes adormecido, às vezes exacerbado, o talento atinge o seu ponto de equilíbrio, quando fazemos da reflexão um exercício diário, associada à autocrítica, ponderando a viabilidade de ideias que podem ter êxito. É aí que entra o bom senso, comparando ações já realizadas com a novidade que se pretende criar e assim por diante.

Protagonistas de um mundo de imediatismo, principalmente do lado ocidental do planeta, precisamos aprender a refletir. Isso vale para tudo na vida, não só para o campo profissional. Somos seres pensantes e é essa característica única, gratuita, sempre disponível, que desenvolve talento e abre caminho para o sucesso.

Esforços desmesurados e trabalho em excesso não são garantia de sucesso. Boa vontade e intenção positiva são sempre apreciadas, mas insuficientes no dia a dia profissional. Aqueles que querem crescer no trabalho e na vida só terão êxito na ação compartilhada, na contribuição para o trabalho de equipe, no alinhamento ao objetivo comum a todos: crescer e ganhar.

O resultado coletivo, de todos sempre será maior do que o resultado individual. O profissional bem-sucedido é o profissional preparado para enfrentar desafios, sem medo de errar, disposto a aprender com os outros e a partilhar o que melhor sabe fazer.

Os talentos existem e estão em todos os lugares. Cabe aos profissionais acreditar na sua capacidade, refletir sobre o que têm e o que precisam buscar para alcançarem seus objetivos. Cabe às empresas investir no desenvolvimento dos seus talentos, pois, assim como no garimpo, as pepitas de ouro se misturam ao cascalho. É claro que nem todos os talentos são adequados às necessidades de uma empresa, mas saber avaliá-los e dar-lhes a oportunidade de desenvolvimento é atitude sábia, do ponto de vista financeiro, inclusive. Pois uma empresa gasta muito em processos de admissão e demissão de colaboradores, às vezes mais do que na qualificação dos talentos que já possui.

Talentos independem da sorte. Inspiração e transpiração, unidas e conduzidas pela reflexão e bom senso, produzem excelentes profissionais e resultados crescentes para empresas que acreditam na valorização das pessoas.

Artigos Relacionados

SXSWedu 2017: Hacks de aprendizagem, uma educação superior digital e boas práticas na produção de vídeos educacionais

Tendências Digitais para considerar em seus projetos de Educação Corporativa Digital para 2017

Realidade Virtual: a experiência imersiva a partir do vídeo 360°

Como empresas aproveitam a tecnologia para redefinir a relação das pessoas com seu desenvolvimento.

A pergunta deixou de ser “preciso ter um projeto de e-learning” para “como fazer um projeto de e-learning”.

A interpretação correta de dados e informações é fundamental ao planejar o futuro e elaborar hipóteses de cenários.

Todos são líderes dentro de sua realidade. A liderança é uma condição que está em cada um de nós.

O que falta para aquelas pessoas esforçadas que colecionam trapalhadas e negociações frustradas?

Qual a diferença que você tem que os outros não tem? Quais adjetivos estão espalhando por aí sobre você?

Transformar ideias embrionárias em “grandes ideias” e fazê-las ser adotadas.

Prêmios colocam UniBB na vanguarda da Educação Corporativa

Metas em qualquer organização são um horizonte que funciona para sinalizar quais são as possibilidades de progressão.

A gestão da carreira é uma decisão individual, e de fato, depende da nossa ação o rumo que daremos na vida profissional.

Por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Ver mais