O inglês deixou de ser um diferencial para o candidato e passou a ser requisito

Por Ciatech

O mercado de trabalho tem exigido cada vez mais dos profissionais, que estão em busca de destaque nas organizações em que atuam. Um dos fatores decisivos é o conhecimento avançado do idioma inglês. Há algum tempo, o inglês deixou de ser um diferencial para o candidato e passou a ser requisito para as corporações no momento da contratação. Além disso, outros idiomas ganham espaço no mundo corporativo e são fundamentais para qualquer pessoa que almeja sucesso em sua área de atuação.

Dominar idiomas significa crescimento, desenvolvimento e, acima de tudo, melhores condições de acompanhar as rápidas mudanças que acontecem nesse novo e tecnológico século. Independente da área de atuação, os profissionais precisam estar em constante busca pela ampliação de seus conhecimentos para, assim, serem profissionais globalizados. Hoje em dia, a fluência em outro idioma é tão importante quanto a formação acadêmica.

Atualmente, apenas 11% dos brasileiros conseguem se comunicar em inglês sem dificuldade, segundo apontou a pesquisa realizada pela Catho, empresa de recrutamento on-line. No entanto, a preocupação com a língua inglesa existe. Essa preocupação não parte apenas do empregador, mas dos empregados, que têm a certeza de que falar outro idioma amplia oportunidades no universo corporativo.

Os motivos para o interesse no idioma são, de fato, atraentes. A revista Business Week publicou que o salário de uma pessoa que sabe falar inglês aumenta em 35% em relação ao salário de quem não tem domínio do idioma. Outras publicações internacionais destacam a relevância do idioma. Segundo o The Economist, o inglês é usado, atualmente, como nenhum outro idioma foi usado antes. Mais ainda, o The Wall Street Journal destaca que o número de pessoas falando o mesmo idioma está aumentando e as pessoas mais jovens buscam uma língua padrão, pois ela é útil no mundo da informação e na sociedade global.

Está mais do que comprovado que o inglês transforma a vida de diversas pessoas, justamente por permitir melhores oportunidades no ambiente corporativo. Nessa linha, a Cengage Learning, em parceria com a Ciatech, desenvolve cursos de inglês voltados para as principais situações e desafios vividos no trabalho, como apresentações de projetos, participação em negociações, organização e condução de reuniões. Os conteúdos estão disponíveis conforme a necessidade de cada profissional, do nível básico ao avançado. Vale lembrar que o inglês não é apenas um dos idiomas mais falados no mundo, mas a língua mundial dos negócios.

Artigos Relacionados

CONARH 2017 e O Poder da Influência

5 Drivers que já estão mudando o mercado como você o conhece

SXSWedu 2017: Hacks de aprendizagem, uma educação superior digital e boas práticas na produção de vídeos educacionais

Tendências Digitais para considerar em seus projetos de Educação Corporativa Digital para 2017

Realidade Virtual: a experiência imersiva a partir do vídeo 360°

Como empresas aproveitam a tecnologia para redefinir a relação das pessoas com seu desenvolvimento.

A pergunta deixou de ser “preciso ter um projeto de e-learning” para “como fazer um projeto de e-learning”.

A interpretação correta de dados e informações é fundamental ao planejar o futuro e elaborar hipóteses de cenários.

Todos são líderes dentro de sua realidade. A liderança é uma condição que está em cada um de nós.

O que falta para aquelas pessoas esforçadas que colecionam trapalhadas e negociações frustradas?

Qual a diferença que você tem que os outros não tem? Quais adjetivos estão espalhando por aí sobre você?

Transformar ideias embrionárias em “grandes ideias” e fazê-las ser adotadas.

Prêmios colocam UniBB na vanguarda da Educação Corporativa

Metas em qualquer organização são um horizonte que funciona para sinalizar quais são as possibilidades de progressão.

A gestão da carreira é uma decisão individual, e de fato, depende da nossa ação o rumo que daremos na vida profissional.

Por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Ver mais