Scorm, Tin Can e AICC, conheça mais sobre os padrões de comunicação para cursos online

Scorm, Tin Can e AICC, conheça mais sobre os padrões de comunicação para cursos online

Gustavo Escoqui - Gerente de Programação Web

Se você trabalha com educação online ou já participou de algum projeto de e-learning, provavelmente já ouviu falar em SCORM ou algum outro termo técnico utilizado para referenciar a entrega final de uma peça educacional. Esses termos técnicos são conhecidos globalmente como Padrões de Comunicação, e existem há mais de 25 anos.

Mas afinal de contas, o que é um Padrão de Comunicação? Quais são as suas finalidades?

O Padrão de Comunicação, como o próprio nome diz, é o conjunto de regras que determina a forma que a peça educacional – ou curso, vídeo, pílula, infográfico, ou seja, seu conteúdo –  deverá ser “envelopada” e programada para se encaixar e se comunicar com o sistema de gestão de aprendizado (LMS – Learning management system), em linhas gerais, o padrão de comunicação define o modo como o conteúdo educacional se relaciona com os sistemas que o suportam.

Se fossemos fazer uma analogia entre o mundo digital, e o da educação convencional, podemos dizer que o LMS é a sala de aula e a peça educacional é o professor. Nesse caso o Padrão de Comunicação seria por exemplo, o idioma utilizado. Um professor não pode dar uma aula toda em chinês para uma classe que não fala essa língua, certo?

A principal finalidade dos padrões de comunicação é garantir a migração e portabilidade entre a peça educacional e o LMS, ou seja, uma peça construída em um determinado padrão de comunicação poderá ser implantada em qualquer LMS que funcione dentro desse mesmo padrão, sem a necessidade de nenhuma customização, tanto da peça quanto do LMS.

Conheça agora, os principais padrões de comunicação que são utilizados hoje no mercado de educação corporativa:

  • AICC: Aviation Industry Computer-Based Training Committee

Primeiro padrão de comunicação para WBT (web-based training), surgiu em 1988 e serviu de base para todos os outros padrões posteriores.

  • SCORM: Sharable Content Object Reference Model

É o padrão mais utilizado no mercado, sua primeira versão (SCORM 1.0) nasceu em janeiro de 2000. Existem 7 versões do padrão SCORM, a versão mais utilizada no mercado é a versão 1.2.

  • Tin Can API ou xAPI: Experience API

Surgiu em abril de 2013, é um padrão de comunicação completamente renovado, utiliza fundamentos de Big Data e seu principal conceito é captar todas as informações no ecossistema do aluno.
No fim de 2015 nasceu o conjunto de especificações CMI5, que padroniza a utilização do Tin Can/xAPI para garantir a interoperatividade entre peças e sistemas educacionais.

 

Muito se fala que o TinCan é o futuro dos padrões de comunicação para educação online, seu potencial é enorme, mas sua utilização depende de vários fatores, começando pela mudança no processo de planejamento da peça educacional e terminando com a implementação de uma nova infraestrutura para armazenamento de informações, o LRS – Learning Record Store.

Qual é o impacto do padrão de comunicação em um projeto de educação online?

O padrão de comunicação, além de garantir a migração e portabilidade entre conteúdo e LMS, é o que vai definir o nível de informações que você poderá obter de uma determinada peça educacional, ou seja, o nível de detalhamento do relatório que será extraído com base nas informações armazenadas pela peça.

Ele vai comunicar se o aluno fez o curso, assistiu ao vídeo, se finalizou uma avaliação e qual nota tirou.
Cada padrão de comunicação possui características e níveis diferentes de armazenamento de informação, por isso, é muito importante que no momento do planejamento do projeto, você tenha claro quais são as informações e o que você quer mensurar, que você saiba qual o objetivo dessa peça e em qual plataforma educacional ela será utilizada.

Artigos Relacionados

O que é mais utilizado em termos de design para Educação Corporativa Digital?

Qual o papel do designer na construção de uma experiência de aprendizagem?

6 aspectos que o RH deve avaliar antes de contratar uma solução tecnológica para Educação

Ver mais