Por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Afinal, por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Pensei sobre isso durante uma aula do curso “Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação” e não cheguei a uma conclusão. Mesmo assim, percebi que a EaD traz, atualmente, soluções mais significativas e, por sua vez, didáticas no processo de ensino-aprendizagem se comparadas com as escolas.

O e-Learning, com o apoio do ambiente virtual, torna-se uma ferramenta de aprendizagem que busca desenvolver, entre outras habilidades, a autonomia na busca do saber, por meio da interação entre alunos dentro do vasto mundo da Internet. Logo, recursos como biblioteca, fórum, mural, FAQ, chat, entre outros, ajudam na construção do conhecimento, tornando o aluno responsável por seu processo de aprendizagem. Ao mesmo tempo, ainda que andando com os próprios pés (ou cliques), o papel do tutor e do profissional de governança é fundamental para que os objetivos de aprendizagem sejam alcançados.

Ora, mas se o aluno se torna, então, participativo dentro deste processo, não há como afirmar que a EaD é uma modalidade que não funciona. Este pensamento vai de encontro com a do professor-doutor José Manuel Moran que, na publicação “As muitas inclusões necessárias na Educação” (2008), considera que o ambiente virtual possua ferramentas de comunicação que incentivam o aluno a resolver suas necessidades de aprendizagem, além de ser um espaço cooperativo que possibilita o compartilhamento, o diálogo e as reflexões.

Desta forma, consigo concluir que as transformações da Educação são frutos das mudanças de comportamento e capacidade de raciocínio humano. O ensino está caminhando para a liberdade e, ao mesmo tempo, vendo na tecnologia um suporte para a aprendizagem do homem contemporâneo.

Artigos Relacionados

SXSWedu 2017: Hacks de aprendizagem, uma educação superior digital e boas práticas na produção de vídeos educacionais

Tendências Digitais para considerar em seus projetos de Educação Corporativa Digital para 2017

Realidade Virtual: a experiência imersiva a partir do vídeo 360°

Como empresas aproveitam a tecnologia para redefinir a relação das pessoas com seu desenvolvimento.

A pergunta deixou de ser “preciso ter um projeto de e-learning” para “como fazer um projeto de e-learning”.

A interpretação correta de dados e informações é fundamental ao planejar o futuro e elaborar hipóteses de cenários.

Todos são líderes dentro de sua realidade. A liderança é uma condição que está em cada um de nós.

O que falta para aquelas pessoas esforçadas que colecionam trapalhadas e negociações frustradas?

Qual a diferença que você tem que os outros não tem? Quais adjetivos estão espalhando por aí sobre você?

Transformar ideias embrionárias em “grandes ideias” e fazê-las ser adotadas.

Prêmios colocam UniBB na vanguarda da Educação Corporativa

Metas em qualquer organização são um horizonte que funciona para sinalizar quais são as possibilidades de progressão.

A gestão da carreira é uma decisão individual, e de fato, depende da nossa ação o rumo que daremos na vida profissional.

Por que a Educação a Distância é vista, por parte dos professores que atuam na sala de aula, como uma aprendizagem que não funciona?

Ver mais