O que está mudando no mercado de EdTech – Preview SXSWEdu 2018

O que está mudando no mercado de EdTech – Preview SXSWEdu 2018

Bruno Milagres - Diretor de Inovação

Prestes a embarcar novamente para o o SXSWEdu2018, resolvi revisitar minhas anotações da conferência do último ano, e ver o que evoluímos de lá para cá no mercado de EdTech.


Transformação digital da aprendizagem

>>>> O que vi lá

Educadores devem se posicionar, se apropriar do processo de transformação pelo qual a educação está passando. Questionar a forma como novas tecnologias são implementadas. Questionar o mercado e seus modelos de negócio. Questionar sua própria atuação – como se fez educação até aqui. E conduzir o daqui para frente com as preocupações pedagógicas, sociais e culturais da aprendizagem.

A próxima grande disrupção na educação vai acontecer nas universidades e colégios. Seus formatos estão muito ultrapassados e resolver este problema de modelo de aprendizagem é um desafio de design, tecnologia e negócio.

 >>> > E agora?

Empresas e escolas estão se se digitalizando. Em velocidades diferentes, claro. Muitas instituições de ensino têm se movimentado neste processo de transformação pelo qual o mercado de educação está passando. Principalmente, neste último ano, as instituições de educação executiva e superior. Porém falta inteligência digital e drive de mudança no mercado educacional, e isto ainda impede que as transformações aconteçam com maior velocidade.

A comunidade de educação ainda precisa apertar o passo para acompanhar a comunidade de tecnologia, que tem dado passos cada vez mais largos.


A transformação do comportamento das pessoas e seu impacto na aprendizagem

>>>> O que vi lá

O futuro da aprendizagem não será sobre o que aprendemos, mas sobre o como aprendemos. É este “como aprendemos” que está em transformação nos dias de hoje.

 >>> > E agora? 

O comportamento das pessoas está mudando com a digitalização de produtos e serviços, o acesso à internet e a popularização dos smartphones. A digitalização das mídias educacionais, a popularização e diversificação dos cursos no modelo online, as novas plataformas de aprendizagem, tem transformado a forma como aprendemos. O acesso à informação se torna cada vez mais abundante. A seleção destas informações e a transformação delas em conhecimento (útil na vida e no trabalho) é que são o problema a ser resolvido

É sobre o aluno e seu processo individual e único de aprendizagem, auto direcionado e no seu próprio tempo. Para isso, temos de aprender novamente a aprender.


Plataformas inteligentes: AI e seu impacto na educação

Inteligência Artificial é o assunto do momento. A aplicação de inteligência artificial na aprendizagem, porém,  ainda está sendo pesquisada e explorada. Sua integração com as plataformas educacionais poderá prover uma aprendizagem realmente personalizada, um para um, adaptada em tempo real às habilidades cognitivas únicas de cada aluno. É esperado alto impacto na aprendizagem.

Uma das mais conhecidas plataformas de computação cognitiva, o IBM Watson, já vem sendo utilizada por desenvolvedores para construção de novos produtos educacionais, inclusive no Brasil.

Chatbots e assistentes virtuais vem ganhando usos práticos. No SXSWEdu2017 um dos casos apresentados foi do chatbot desenvolvido pela Georgia State University em parceria com a AdmitHub, para acompanhar o processo de aplicação e admissão de novos alunos na universidade.

Neste último ano, a pauta – AI e sua utilização na educação – foi debatida em todos as conferências internacionais de EdTech em que estive: OEB em Berlim, Semana de EdTech em Londres, Midsummit de Reykjavik, Semana de EdTech em Nova York. No SXSWEdu 2018 deverá ser um dos principais temas, o que mostra uma das grandes mudanças no último ano.

As tecnologias de aprendizagem de máquina estão no ápice da curva de interesse no mercado de edtech. Tecnologias emergentes têm se tornado catalizadora de mudanças.


Conteúdo digital: de e-books a experiências de realidade misturada (VR/AR)

A grande transformação no conteúdo e material didático educacional, além da própria digitalização, se dá no âmbito contextual. Novas tecnologias de realidade misturada, como o app que usa hologramas de pacientes para treinar enfermeiros recentemente lançado pela Pearson e Microsoft, traduzem o conhecimento antes contido em um atlas anatômico numa experiência muito mais tangível e de fácil assimilação.

Cada vez mais criamos e consumimos conteúdos audiovisuais. Dos Stories no Instagram (com média de mais de 30 min de consumo/dia por usuário), aos canais de Youtube (jovens americanos consomem em média 2 hrs por dia de vídeo online na plataforma) – sem esquecer das séries na Netflix -, na tela de um smartphone, no contexto em que você estiver.

Hoje quase todos os produtos de educação online se baseiam em conteúdos audiovisuais. O desafio agora é indexá-lo, torná-lo adaptativo e interativo, de forma a envolver o aluno na experiência (e não apenas assistir às videoaulas).


Upskilling e o futuro do trabalho

>>>> O que vi lá

A ideia de carreira como a conhecemos acabou. Com a velocidade com que os conhecimentos são adquiridos, atualizados e descartados, a ideia de uma carreira longa e duradoura em uma única área de conhecimento não faz mais sentido. Vivemos uma era em que professores precisam estar constantemente aprendendo. Vivemos uma era em que somos alunos pelo resto de nossas vidas. A carreira está em constante transformação.

 >>> > E agora?  

Educadores de todo o mundo estão revendo as habilidades necessárias para alunos e profissionais serem bem-sucedidos no novo contexto do trabalho – mais flexível, digital, e automatizado em diversas áreas. Para preparar jovens alunos para profissões que ainda não existem, ou jovens executivos para fazerem negócio em ambientes altamente complexos e voláteis, escolas, instituições de ensino e empresas estão revendo seus modelos de desenvolvimento de habilidades e competências.

Novidades no mercado de educação executiva e superior, com cursos mais práticos e certificações mais curtas estão começando a se popularizar. Em um ano, vimos empresas que oferecem nano-graduações – como a Udacity –  ganharem mais espaço no mercado brasileiro.

Na educação corporativa são várias as organizações que investem regularmente no desenvolvimento de habilidades de seus funcionários. Já é sabido que o futuro das empresas está diretamente relacionado à capacidade de aprender e inovar.

…….

O SXSWEdu começa na próxima segunda-feira, dia 05/03. Direto de Austin vou compartilhar insights e novidades sobre tecnologia para educação. Acompanhe nas nossas redes sociais e por aqui onde publicaremos as novidades.

Artigos Relacionados

3 Macrotendências que todo profissional de RH precisa conhecer

Infoxicação: nem sempre mais é melhor

O que está mudando no mercado de EdTech – Preview SXSWEdu 2018

10 Benefícios de uma Plataforma LMS

CONARH 2017 e O Poder da Influência

5 Drivers que já estão mudando o mercado como você o conhece

SXSWedu 2017: Hacks de aprendizagem, uma educação superior digital e boas práticas na produção de vídeos educacionais

Tendências Digitais para considerar em seus projetos de Educação Corporativa Digital para 2017

Realidade Virtual: a experiência imersiva a partir do vídeo 360°

Como empresas aproveitam a tecnologia para redefinir a relação das pessoas com seu desenvolvimento.

A pergunta deixou de ser “preciso ter um projeto de e-learning” para “como fazer um projeto de e-learning”.

A interpretação correta de dados e informações é fundamental ao planejar o futuro e elaborar hipóteses de cenários.

Todos são líderes dentro de sua realidade. A liderança é uma condição que está em cada um de nós.

O que falta para aquelas pessoas esforçadas que colecionam trapalhadas e negociações frustradas?

Qual a diferença que você tem que os outros não tem? Quais adjetivos estão espalhando por aí sobre você?

Ver mais